Portugal e Colômbia assinam Protocolo de Sustentabilidade na Produção de Cacau

 

Com o objetivo de contribuir para a melhoria da sustentabilidade ambiental do cultivo de cacau na Colômbia – através  da implementação de tecnologias e boas práticas agrícolas com enfoque na segurança e mitigação dos efeitos negativos das alterações climáticas – foi assinado a 30 de Abril o Protocolo de Colaboração Técnica e Financeira de Apoio ao Projeto "Melhoria da Sustentabilidade Ambiental através da Implementação de Tecnologias no Quadro da Estratégia Nacional para o Cultivo do Cacau", entre o Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e a Ação Climática de Portugal e a Corporación Colombiana de Investigación Agropecuaria – Agrosavia.

No contexto da implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e no cumprimento das obrigações internacionais decorrentes do Acordo de Paris, a ação conjunta de Portugal e Colômbia contribuirá, até dezembro de 2023, para garantir o direito dos cidadãos a um ambiente saudável e ecologicamente equilibrado, promovendo a sua preservação como pré-requisito básico para o desenvolvimento sustentável a nível nacional e global, não apenas em questões relacionadas com as alterações climáticas e dos recursos hídricos, mas também no contexto da conservação da natureza e da biodiversidade.

Além de avançar com soluções e boas práticas a aplicar à cadeia produtiva de cacau na Colômbia, o projeto apoiará 100 famílias de nove municípios com enfoque territorial prioritário (PDET) do Departamento de Norte de Santander, por via da melhoria dos seus sistemas agroflorestais, do aumento do número de árvores por hectare, e pela redução do impacto negativo da agricultura no meio ambiente, contribuindo, ao mesmo tempo, para o aumento dos seus rendimentos através da aplicação de novas tecnologias.

A assinatura deste Protocolo reveste-se de uma importância não apenas técnica, mas também política, realçando a continuidade e o aprofundamento da relação de cooperação a longo prazo existente entre Portugal e a Colômbia em todos os domínios, através de, no caso vertente, a partilha de conhecimentos e experiências, que potenciam a procura de soluções ambientais e de combate aos efeitos negativos das alterações climáticas mais adequadas para problemas globais e comuns aos dois países.