OS PRÓXIMOS 30 ANOS …O FUTURO DOS SERVIÇOS DA ÁGUA

You are here:

 

Projeto30anos

 

A Secretaria-Geral associou-se à Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA) para a realização de um projecto de investigação que, ancorado em metodologias prospectivas, contribuir para o processo de decisão estratégica dos vários atores.

» ENQUADRAMENTO

Os desafios que se colocam aos serviços de águas nas próximas décadas justificam uma reflexão estruturada sobre vários processos com elevado grau de incerteza e impacto no longo prazo.

As alterações climáticas, os modelos de organização económica num contexto de escassez de recursos, a distribuição territorial de pessoas, actividades e recursos, a evolução de valores e comportamentos ou o progresso tecnológico são motores de mudança, cujo efeito no contexto, atores e estratégia dos serviços de água urge antecipar.

» DESENVOLVIMENTO

O mote para avançar com a investigação – o trigésimo aniversário da APDA em 2018 – corresponde também à meta para a conclusão do projecto, estando prevista a apresentação de documento para discussão pública no primeiro semestre de 2018.

O desenvolvimento do projeto assenta na revisão da literatura e investigação própria, sendo os estudos e documentos produzidos pela equipa e peritos, nacionais e internacionais, convidados.

Etapas

• Arranque, difusão e incitamento do projeto; (concluída)

• Âmbito: definição de área de pesquisa – foco, objetivos do projeto e sistema a analisar; (concluída)

• Elaboração do diagnóstico: o setor e o seu ambiente interno e externo, nomeadamente:

·         Definição das questões corretas a colocar;

·         Definição dos temas a analisar, das variáveis-chave e dos jogos dos atores;

·         Tendências, necessidades e análise de potencial.

• Prospeção do campo dos futuros possíveis e caracterização das incertezas e impactes;

• Escolha dos fatores-chave (incertezas críticas) para a construção dos cenários;

• Construção dos cenários;

• Transferência/ divulgação

Os projectos alicerçados em metodologias de prospectiva têm subjacente um elevado processo de interacção e colaboração com stakeholders; por isso, serão promovidos encontros periódicos e workshops, restritos e abertos, de brainstorming e divulgação, com o envolvimento de peritos.

Pensar os próximos 30 anos exige que, antes de mais, se reflicta sobre os grandes (e novas) tendências, procurando distinguir os principais factores de incerteza à escala mundial e que tipo de impacto podem ter em Portugal, nomeadamente no território enquanto elemento determinante para o foco. Este foi o mote para a realização do primeiro evento, no passado dia 27 de Abril.

» EQUIPA

A Equipa de Coordenação Executiva (ECE) integra pessoas com competências diferenciadas (prospetiva, gestão de projetos, governância, económica/ financeira, empresarial, tecnológica, social, etc.) e é responsável pela condução e realização do projecto.

No âmbito da ECE foram criados 4 Grupos de Trabalho à luz das temáticas centrais de investigação:

GT 1: Demografia, território, economia, sociedade – Evolução da população e sua distribuição regional; evolução do urbano, periurbano e rural; a economia (crescimento e decrescimento; setores e geografias); inovação tecnológica (big data, digital, robótica, inteligência artificial, nanotecnologia, etc.); evolução tecnológica e eficiência no uso dos recursos; rendimento e sua distribuição; disponibilidade de recursos financeiros públicos e privados, mercado e estado; globalização; integração e nacionalismos; geopolítica e os seus riscos; valores e sua evolução; hábitos de consumo, etc..

GT 2: Ambiente e recursos hídricos – Alterações climáticas (alteração de padrões, variação da temperatura e precipitação; eventos extremos – cheias, secas e ondas de calor); quantidade e qualidade da água nas origens; poluição tópica (descargas de águas residuais tratadas e não tratadas) e difusa (escorrências agroindustriais; lixiviados de tratamento de resíduos e da indústria mineira; lamas de ETAR); gestão de águas pluviais; outras utilizações da água/ competição pelo recurso; eventos catastróficos pontuais de origem natural ou antropogénica com impacte potencial no ciclo integral da água (incêndios florestais, sismos, terrorismo, contaminação nuclear, roturas de barragens, acidentes industriais, entre outros); legislação ambiental; etc..

GT 3: Evolução e futuro das tecnologias de tratamento e informação – Tecnologias de tratamento de água e tratamento e reutilização de águas residuais e pluviais e valorização de lamas; aplicações da economia circular; tecnologias de informação; evolução das caraterísticas do produto/ serviço; smart water solutions; cidades inteligentes; novos produtos e serviços; novas interfaces de relacionamento com os utilizadores/ clientes; internet das coisas; etc..

GT 4: Governância e modelos de gestão dos serviços de águas – Âmbitos local/ nacional/ regional; participação do setor privado; centralização e descentralização; utilities integradas ou separadas; efeitos de escala e densidade; gestão de ativos; internacionalização; regulação; benchmarking com países OCDE; evolução internacional; envolvimento dos stakeholders e participação; legislação setorial; custos e a sua recuperação (aplicação do princípio dos 3T); fiscalidade; âmbito da responsabilidade de gestão e seus riscos; diferenciação dos níveis de serviço; condicionamentos impostos pela atividade política internacional e nacional, etc..

A Comissão de Acompanhamento (CA) é constituída por representantes de 18 stakeholders e apoiará a ECE nas várias etapas.

A Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente está representada na CA, pela secretária-geral, e na ECE, pela dirigente da divisão de Estratégia, Planeamento e Estatística dos Serviços de Prospetiva e Planeamento

» EVENTOS

Seminário “O Mundo em 2050 – A nova revolução industrial: implicações no setor da água”

Programa

Oradores e Apresentações:

António Grilo (FCT/UNL) | “Disrupção Tecnológica: The Good, The Bad and the Ugly“

Painel 1 – Serviços de Águas 4.0

Alessandro Parrotta (Itron) | “Analytics 4.0 as a disruptive tool leveraged by smart meetering and LPWAN”

Pedro Maló (FCT-UNL| UNINOVA) “Visão prospetiva das tecnologias de IoT/CPS no futuro da gestão inteligente da água”

Seminário “O Mundo em 2050 – Tendências, Riscos e Impacto no Território” 

 Programa 

Oradores e Apresentações:

Painel 1 – Riscos Geopolíticos e a Configuração dos Territórios 

José Manuel Félix Ribeiro

José Manuel Sobral

André Magrinho

Painel 2 – Drivers da Resiliência das Cidades

João Ferrão

António Figueiredo

Teresa Marat-Mendes

Painel 3 – Pessoas, Território e Sustentabilidade

Susana Fonseca

Isabel Salavisa

João Guerra

Sofia Santos

Última Actualização em 7 de Dezembro, 2023